Contos de Tarot 6 - Tudo passa... - Rosane - Taróloga

domingo, 7 de julho de 2019

Contos de Tarot 6 - Tudo passa...


Estou já caminhando por este mundo há um bocado de tempo. Não tenho a noção da hora, posto que, aqui, não há dia ou noite. A moeda ganha está no meu bolso e me questiono sobre a sua valia aqui neste lugar. Apesar de me saber no mar, parece que o caminho se transformou num grande deserto. Nada à minha frente nem atrás. Talvez o reino da Rainha de Ouros fosse uma miragem. Coloco a mão no meu bolso. Não, o toque frio da moeda me lembra que aquilo tudo foi real. 

Me sinto grato/a pela refeição que me foi dada. Acho que estaria com fome agora não fosse aquele lanche. Me sinto um pouco culpado/a também por não ter apreciado mais a companhia da Rainha. Ela era controladora, sim. Mas não era má. Acho que, no fundo e do jeito dela, só queria o meu bem. Começo a me cansar de tanto andar. Sento-me no  chão. Tenho vontade de dormir. Deito e fecho os olhos.

Acordo sobressaltado/a com um alvoroço de batidas de sinos e alguém gritando.
- todos a bordo! A bordo! Todos a bordo!!




Estou deitado/a no meio de um porto, sendo chutado/a com pessoas indo e vindo com suas malas e bagagens. Levanto-me rapidamente. Há uma grande confusão no ar. As pessoas parecem um tanto perdidas. Crianças parecem ter se separado de seus pais. Outras pessoas estão muito preocupadas com suas malas, quase não conseguem andar. Alguns discutem. A cena me lembra uma retirada. Parecem todos migrantes, como que fugindo de seus lares.  Embarcações estão vindo buscar as pessoas e saem lotadas. Algumas pessoas caem ao mar. É tudo muito confuso. Apesar da balbúrdia, a maioria é calada, andando de cabeça baixa, sem fazer contato visual com ninguém.

Há uma fila quase infinita dessas pessoas. Não me vejo fazendo parte desse grupo. Resolvo só ficar à beira do cais, olhando o movimento.

Ao meu lado também param uma mãe com uma criança. A mãe parece triste, está muito quieta. A criança está distraída com todo o movimento. Vejo se destacar um barco dos outros gigantes. Este é bem menor e é conduzido calmamente por um senhor magro e forte. Com o apoio de um grande remo, ele manobra a pequena embarcação com a destreza de quem conhece aquele mar como a palma de sua mão.  Estranho, está se desviando da rota dos outros barcos. Está vindo em nossa direção.

Finalmente o pequeno barco pára ao nosso lado. Ele estende a mão à mulher, que desce e se senta no banco que atravessa o barco, sem nada dizer. A criança pula ao meu lado, entusiasmada. Com a ajuda do barqueiro, entra e se senta ao lado de sua mãe.


O barqueiro me olha, parece me estranhar. Eu não sei o que fazer. A criança então se vira para mim, sorri abre a sua boca e põe a língua para fora. Há uma moeda sobre sua língua. A moeda de ouro! Pego-a do meu bolso e a entrego ao barqueiro. Ele olha espantado para a moeda e para mim. Acena com a cabeça e me estende sua pá.  Parece que vou conduzir o barco com ele.

________________

Interpretação: 

O Seis de Espadas revela hoje a necessidade de se afastar de situações de conflito que, talvez, sejam de ordem familiar ou do seu passado. Há emoções fortes vindo de pessoas com quem você viveu que precisam ser deixadas para trás. Você pode estar um tanto nostálgico/a com lembranças de outros tempos. Talvez ainda ressentido/a, preocupado/a ou culpado/a por eles ou pelo que você fez ou deixou de fazer no passado.

É hora, com este Arcano, de fazer um ajuste de contas com este passado, para que você possa seguir com sua vida.

Muitas vezes este ajuste pode se dar com um perdão de dívidas cármicas. Noutras, com o seu pagamento literal, em espécie ($). Assim como, no outro mundo, nosso barqueiro das almas aceita dinheiro para os traslados, aqui também a moeda de troca pode ser o seu dinheiro.

A pergunta é: quanto vale cada aprendizado em nossas vidas? Quanto vale para nós o perdão de uma dívida com alguém? Muitas vezes não estamos sabendo valorizar os aprendizados, o que custa o sofrimento dos outros. Então o "barqueiro" entra e nos cobra em dinheiro mesmo. Vamos perdendo nossa poupança e nossas posses até finalmente nos entregarmos e pedirmos perdão. Estar de joelhos é um gesto de humildade, mas também de redenção e alívio.

Com o Seis de Espadas, hoje, a pedida é se afastar um pouco das emoções do seu passado e colocar em mente que você precisa resolver suas dívidas com os outros para seguir leve em direção ao seu futuro. Pense sobre o que vem prendendo a sua evolução e decida de que lado você quer ficar. Dos que lamentam e esperam a morte chegar... ou dos que fazem algo para mudar.

O leme da sua vida está em suas mãos. Carpe Diem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

RosaneTarot


Este é um blog de autoria de Rosane Kurzhals. Todos os direitos reservados. A reprodução total ou parcial do conteúdo aqui apresentada está autorizada, desde que com o consentimento da autora e citada a fonte. ;)








Últimas do Blog

recentposts

Postagem em destaque

Black Friday no Rosane Tarot

O Rosane Tarot embarcou no Black Friday!! De 25 a 30 de novembro (segunda à sábado), todas as consultas de Tarot estarão com  50%...