sexta-feira, 28 de abril de 2017

Tiragem para dia 28/4 - Greve Geral no Brasil



Como muitos, me preocupo como o movimento do dia de hoje. Por isso resolvi fazer uma tiragem especial, para saber do andamento e possíveis resultados desse momento.

Fiz uma tiragem de padrão pirâmide, de 3 níveis, onde o primeiro mostra a base da situação, sua evolução e fim. 3 cartas extras apontam perspectivas futuras.

Eis o resultado:



Para não explicar carta por carta, o resumo é o seguinte: a quase total presença do naipe de espadas faz perceber a presença de conflitos. De todos os naipes, este é o mais perigoso e poderoso, pois usa ação isenta de emocionalismos. Denota ódio, batalha e inimigos. É a ação movida pelo pensamento frio e cortante, que pode ser construtiva ou destrutiva, às vezes resultando em violência. 

Na base da situação vemos já a situação de paralisação. Não como algo consciente ou voluntário. Ela aparece numa situação em que as pessoas se sentem sem saída, sem recursos. Sentindo a opressão por todos os lados, sem conseguir enxergar para onde vão, completamente incapazes de se defender. Então fazem uso da espada, literalmente.

Esta é uma situação importante, pois é a nota que dá a saída para toda a sinfonia. Esse não é um movimento de ataque nem de defesa. É uma reação de quem se encontra sem saída, um movimento desesperado. E é aí que está o grande perigo. Sun-Tzu, no seu famoso "A Arte da Guerra", já alertava:

55. Quando cercar o inimigo, deixe uma saída para ele, caso contrário, ele lutará até a morte.

Mas é importante notar que a presença de 3 cartas invertidas denota não uma força ascendente, mas descendente. Ou seja, quando muitas cartas de espadas aparecem invertidas, há aqui a presença da raiva, culpa, severidade de julgamento, falta de compaixão e abuso verbal e mental. Portanto, há de se ter muito cuidado com o dia de hoje, pois pode promover violência literal. 

É mais provável que encontremos, hoje, pessoas movidas pelo rancor, sem muita consciência do objetivo desta missão. O que querem? Como querem? Há alguém que os possa ouvir e atender? O Louco, no meio do caminho, indica a atitude do 'se jogar', mesmo que para o precipício. Há, portanto, a tendência de um movimento de luta, mas sem muita clareza. Indecisão, confusão, excesso de informações que levam, enfim, ao ponto final do jogo, também uma carta forte: o 9 de Espadas.

Como se trata do clímax do dia de hoje, escolho falar um pouco sobre esta carta.

O 9 DE ESPADAS

O 9 de Espadas mostra uma pessoa que acorda no meio da noite, assustada, amedrontada com um pesadelo que acaba de ter. Ela ainda está em pânico, naquele estado em que ainda não separamos a inconsciência da consciência. Estamos acordados, porém ainda não despertamos. E o sentimento é que o que estamos vivendo é real, existe. Estamos ainda sofrendo pela dor do que acabamos de passar, sem perceber que o que estávamos vivendo não era real, mas vinha dos nossos medos mais profundos. Mas por que nos apavoramos tanto? Por causa da ansiedade, do medo do que virá. Do medo de que os nossos pesadelos mais medonhos se transformem em realidade. E qual é, na verdade, nosso maior medo? O medo da morte, da velhice, da solidão. De chegarmos ao fim dos nossos dias, derrotados - note nesta carta a presença do adorno na cama, de uma pessoa sendo vencida.

Infelizmente, o dia de hoje não traz um bom fim. Depois de tanta luta, de tanta confusão, de tantas brigas... acabamos em prantos, com grande ansiedade por nosso futuro incerto. Vamos morrer de tanto trabalhar, vamos perder nossos direitos, somos fracos, estamos abandonados à própria sorte. Que futuro horrível!

Mas lembremos: este fim não é necessariamente a realidade. Terminamos por acreditar nos nossos medos. Mas ainda estamos inconscientes. Este não é o fim, isto não é real.

Eis que então as próximas 3 cartas, que tiro como probabilidades futuras e conselho, entregam algo novo. Temperança, 6 de ouros e 8 de Copas. 

Sou bastante reticente quanto a ser muito esperançosa. Mas estas cartas me trazem uma alegria, confesso. 1 arcano maior (um anjo!), um de ouros e outro de copas. Já pelos naipes, sinto alívio.

CONSELHO DO TAROT

É preciso ter paciência e dar tempo ao tempo. O próprio tempo fará com que se restitua o equilíbrio necessário, principalmente das emoções. Há um plano maior, uma guiança para o Brasil. Estamos, sim, sendo protegidos e este é o tempo para que a esperança se renove. Viveremos tempos de renovação de esperanças.

Há também a presença de pessoas ou entidades poderosas, amparadas pela lei e justiça, que tratarão de equiparar as coisas, distribuindo as riquezas com justiça aos que mais necessitam. Não ficaremos esquecidos. 

Minha interpretação, aqui, é que pode até mesmo haver um tempo para o crescimento da força do 4o setor da sociedade. O setor 2,5, como outros preferem. Ou setor quaternário, tanto faz. Isto é, não seremos 'salvos' pelo governo (1o setor), nem pelas empresas privadas voltadas apenas aos lucros (2o. setor), nem pelas ONGS (3o. setor). 

OK, sei que muitos tarólogos interpretam esta carta como sendo, sim, de entidades filantrópicas. Não na minha opinião, pois entidades filantrópicas não ficam com os lucros da sua atividade. Estou falando, evidentemente, das entidades filantrópicas sérias. Muitas vezes, estas entidades são tão 'pobres' quanto os pobres que ajudam. Nesta carta, o 6 de ouros, nossa personagem não é pobre. É rica, muito rica. Ela se sustenta dos seus lucros, portanto. Ela está do lado da lei e esta lei é equilibrada. Distribui seus recursos com equidade e abundância. Interpreto como o fortalecimento, sim, do quarto setor da economia, formado por organizações centradas no lucro, mas não APENAS nos lucros. Elas tem o propósito de gerar impacto positivo na sociedade. 

Este tempo, portanto, que virá pela frente e que talvez demore um pouco, seja para o crescimento deste setor. E ele não apenas estará à frente dos setores da economia, mas incluirá os altos níveis de decisão da sociedade, como governo, ciência, universidades, saúde, cultura, mídia. Por fim, forçará a retirada involuntária (última carta, 8 de copas invertido) de uma velha forma de agir.

Teremos, sim, uma grande renovação e transição pela frente. Isto inclui do alto escalão a nós, indivíduos comuns. É como se todo nosso prazer pelo consumo, gastos, prazeres, tenha se esgotado. Como aquelas pessoas que, ao realizarem todos os seus desejos, percebem que ainda não estão felizes. E resolvem abandonar o conforto do pensamento comum para alcançar metas mais elevadas. As coisas do mundo já não são mais as metas. Agora, é hora de partir para encontrar nosso verdadeiro propósito como seres humanos. Quem resistir, será, como no caso, involuntariamente (a carta está invertida) retirada de cena. Afastada.

Este futuro ainda é longínquo. A carta da temperança nos fala disso. Mas é a resposta. E, para mim, uma resposta àquela última carta, do 9 de espadas. É como se dissesse: "Calma. Tudo que você teme, não é real. Você está vivendo uma fantasia de dualidade. Há uma outra resposta, que não é nem a direita e seus valores consumistas. Nem a esquerda, de defesa dos mais fracos. Existe um novo caminho. E a gente não vê porque ainda está dormindo. Haverá o tempo de acordar".

“E isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz.” (Romanos 13:11-12)


 Acredito que este pode ser, sim, o caminho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

RosaneTarot


Este é um blog de autoria de Rosane Kurzhals. Todos os direitos reservados. A reprodução total ou parcial do conteúdo aqui apresentada está autorizada, desde que com o consentimento da autora e citada a fonte. ;)








Últimas do Blog

recentposts

Instagram