TAROTERAPIA

[taroterapia][bsummary]

ASTROTAROT

[astrologia][bleft]

Cine Tarot

[cinetarot][bsummary]

Os 4 naipes e as 4 funções da consciência


Os 4 naipes do Tarot se ligam às 4 funções da consciência analisadas pelo pai da psicologia analítica, Carl Gustav Jung. Jung identificou estas quatro funções como as formas que a consciência usa para reconhecer o mundo e orientar-se nele.



São elas: o Pensamento (Espadas), Sentimento (Copas) e Intuição (Paus) e a Sensação (Ouros). 


“Esses quatro tipos funcionais correspondem aos recursos óbvios através dos quais a consciência obtém sua orientação para a experiência.” (Carl Gustav Jung)


Estas 4 funções também se ligam às energias yin e yang. Copas e Ouros estão mais conectadas ao yin (feminino, receptivo, noturno) e Paus e Espadas ao yang (masculino, ativo, diurno).

Segundo Jung, (via Instituto Freedom - tipos psicológicos), cada função da consciência assim se distribui: 


"O Pensamento é uma função psicológica que tem a missão de associar idéias umas as outras para que se possa chegar a uma conclusão e uma solução de um determinado problema. É uma função intelectual, com o objetivo de compreender as coisas. As principais características do Pensamento são: a lógica, a racionalidade, a objetividade e a busca pelos resultados.

A Função Sentimento é avaliadora, o trabalho exercido por ela consiste em aceitar ou rejeitar uma idéia, definindo-a como agradável ou desagradável. Suas principais características são: a afetividade, a conciliação, o zelo por sua subjetividade e seus relacionamentos emocionais com as pessoas.

A Intuição não exige nenhum julgamento, pois o indivíduo não sabe de onde ela vem, nem de onde se origina. Esta função também é muito conhecida como percepção extra-sensorial. Suas principais características: o sexto sentido, imaginação, visão de futuro, forte criatividade e facilidade para enxergar novas possibilidades. 

A Sensação é uma percepção sensorial que consiste em todas as experiências conscientes produzidas pelos órgãos dos sentidos: visões, ruídos, cheiros, paladares e todas as sensações que se originam no interior do nosso corpo. As características principais que nos remetem a essa função são: a utilização dos 5 sentidos, a percepção de algo concreto, o senso da realidade e a realização. Esta função também é muito ligada com o aqui e agora."


Estas 4 funções analisadas por Jung foram também elaboradas nos anos 90 por Ned Hermann (♦1922, †1999), pesquisador do pensamento criativo e criador da teoria da dominância cerebral





A teoria da dominância cerebral proposta por Herrmann (1990) apresenta a metáfora de subdivisão do cérebro em quatro quadrantes, sendo que cada um possui características e habilidades distintas: criativo, planejador, comunicativo e analítico. Com base nesta abordagem, ele desenvolveu o Herrmann Brain Dominant Instrument (HBDI), uma ferramenta de avaliação que quantifica o grau de dominância pessoal de cada um dos quadrantes. - faça o teste no final deste post.


As 4 funções da Consciência nas leituras de Tarot


Espadas

O símbolo deste naipe (♠) representa a ponta de uma lança e está ligada ao pensamento pelo seu caráter dual (dois gumes da espada = dois lóbulos cerebrais), cortante, discriminador e combativo da mente.





Numa leitura, a predominância das espadas reflete que há disputas e racionalidade na questão. Muitas vezes, pode refletir também o uso da palavra escrita (pena como espada) ou oral.


Uma pessoa com muitas cartas de espadas possui um caráter mais frio e racional, lógico e analítico. É certamente alguém que se apega aos fatos e resultados, não estando muito interessada no sentimento das outras pessoas. É do tipo que faz o que julga certo, doa a quem doer. Poucas cartas de Espadas pode tetratar também que há falta de ambição, lógica ou entendimento intelectual sobre os fatos. Como resultado de perguntas, reflete desejo de poder, ambição e, dependendo das demais cartas, violência.


No caminho das Espadas, é preciso ir com cuidado: toda ideia visando a conquista de algo apenas pelo gosto da vitória (poder pelo poder) termina invetavelmente em derrota.


Copas

O símbolo deste naipe () é claro: estamos falando de sentimentos. O nome em português vem do espanhol "taças" e representa nosso coração como uma taça, receptáculo do sangue e das emoções, bem como do útero que recebe e nutre a nova vida.





Como o naipe de Copas se corresponde às emoções, sempre que uma leitura tem a predominância deste naipe, temos diante de nós que o "sentir" é o mais importante na questão. Elas mostram a importância de considerar as emoções e deixar o coração determinar as escolhas.


Tirar muitas cartas de Copas pode significar que há mais sentimentos em jogo e a necessidade de emoções na vida da pessoa. Claro que para uma leitura sobre amor é imprescindível que este naipe apareça, considerando que a afetividade é o que une as pessoas. Mas também pode haver um excesso de sentimentalismo ou que as emoções predominam sobre a razão, podendo haver tendência até mesmo para atitudes mais passionais. Poucas cartas de Copas, por sua vez, denota personalidades ou situações em que falta empatia, amor, solidariedade e compaixão.

No caminho de Copas, todo início se dá com um coração transbordante de amor e termina inevitavelmente com esse amor traduzido em filhos, expressão máxima do amor terreno.


 Paus

O símbolo desta função (♣) está ligado à madeira e ao elemento fogo e é derivado do termo bastões (usado como porrete) do baralho espanhol - por isso também está associado ao trabalho braçal.




Quando, numa leitura sobre pessoas, a função da intuição aparece através da maioria de cartas de paus, estaremos diante de indivíduos com muita energia e disposição, criativos, ativos, esportistas e espirituosos. Ligado ao sexto sentido e ao futuro, são tipos com muita iniciativa e ideias, capazes também de motivar e engajar as outras pessoas.


Um excesso deste naipe numa leitura aponta para muitas ideias, ações e movimentos, que podem levar a um esgotamento. Pode também estar ligado às atividades excessivas do dia a dia em casa ou no trabalho e ao desejo de experimentar tudo de forma bastante empírica. Como direção, aponta a necessidade de inovar e pensar fora da caixa para resolver problemas. Faltando este naipe numa leitura para pessoas ou situações indica que falta energia, entusiasmo, disposição e até mesmo fé na vida ou em si mesmo.

No caminho de Paus, o trabalho, que começa com um grande insight e desejo de expansão, pode levar à combustão mental - conhecida como síndrome de burnout.


 Ouros

O losango, símbolo deste naipe () vem do latim arcaico lausa, que significa pedra achatada - de onde também vem a palavra lousa. Este naipe, portanto, é associado à terra e ao reino mineral, de onde vem toda riqueza. Nos tarots atuais, o símbolo losangular é substituído por uma moeda de ouro com um pentagrama gravado devido à sua associação com a prosperidade material.




Numa leitura pessoal onde predomina esta função da consciência, veremos a tendência à valorização das coisas materias e foco em comportamentos mais pragmáticos e pé no chão, visando benefícios materiais (dinheiro, segurança, posses, terras, alimentos, etc).


De todos os naipes, este é o que mais se fixa às sensações físicas marcadas pelos 5 sentidos (estrela de 5 pontas): visão, audição, olfato, tato e paladar. Por isso um excesso deste elemento pode se traduzir num materialismo extremo e apego às posses e ao corpo físico - a pessoa pode ter muita dificuldade com o envelhecimento e a perda de dinheiro. A sua ausência, pelo contrário, sinaliza a falta de contato com a realidade e possível distanciamento das coisas do mundo ou das necessidades físicas.


No caminho de Ouros, o investimento inicial, bem investido, pode se multiplicar e gerar heranças, que vão desde as materiais às genéticas.


EXTRA: Caso você tenha curiosidade, que tal saber que naipe/função da consciência predomina na sua forma de pensar e agir? Faça aqui o HBDI, o Teste de Dominância Cerebral de Ned Hermann:






Nenhum comentário: